Arquivo da categoria: Paris

Fotos para todos!

A minha última descoberta em Paris se chama YELLOW KORNER. A loja criada pelos amigos Alexandre de Metz and Paul-Antoine Briat, ambos apaixonados por fotografia, tem um conceito simples: introduzir os maiores fotógrafos do globo e aumentar o número de impressões dos seus trabalhos, tornando suas obras mais acessíveis para o maior número de colecionadores possível. Desta forma, ao invés de oferecer 10 cópias por 5.000 euros, a Yellow Korner oferece 500 cópias por 100 euros. 

São milhares de fotografias que variam de 49 a 1500 euros, dependendo do número de impressões. O melhor é que você pode comprá-las já emolduradas. As menores fotos (24×36 cm ou 29×29 cm), com moldura, custam 59 euros. Uma ótima oportunidade para quem, como eu, gosta e quer adquirir uma obra de arte, mas o bolso ainda não permite comprar séries limitadas!

A Yellow Korner tem seis lojas em Parias, e já conta com uma filial em Nova York, Bruxelas e Colônia. Se você estiver de passagem por alguma destas cidades, vale a pena conferir!

Acabei comprando duas!

Imperious  – da dinamarquesa Rie Rasmussem

Red Night – do espanhol Albert Corbi Llorens

 

Abs,

Tauan

www.yellowkorner.com

Anúncios

Deixe um comentário

Arquivado em Lifestyle, Paris

Para ver e ser visto!

São sempre diversos os motivos pra se escolher um restaurante. Às vezes escolhemos pelo chefe, às vezes pela tradição do lugar ou mesmo pela boa fama na “praça”. Outras vezes vamos simplesmente pelo ambiente. Este é o caso do badalado Matignon em Paris.

Mas, como diria Danuza Leão, “a comida pode não ser fabulosa; horrível também não é. Aliás, onde é que você, algum dia, comeu muito mal em Paris?”.

Eu já havia comentado sobre ele aqui.  Trata-se da última empreitada do “restauranteur máximo” de Paris, Thierry Costes.  Como tudo que monsieur Costes põe a mão, o lugar já virou hotspot entre os locais. O lugar certo para quem quer ver e ser visto.

A comida do Matignon, como foi dito inicialmente, não é lá essas coisas. Pedi um steak bernaise, que seguramente não entrará para a história. Já a lagosta veio sem sal. O maior acerto da noite foi a burrata com tomates de entrada. Tudo bem, a proposta aqui é outra. A bebida é boa e a música melhor ainda! Vale lembrar, que uma das melhores noites parisienses rola no andar de baixo.  Alors On Danse !

3 Comentários

Arquivado em Nightlife, Paris, Paris

Saint Germain, o meu Quartier!

Última parada da viagem, Paris. Melhor impossível! Desde a minha primeira visita, soube que seria um caso de amor eterno. E todas as vezes que volto, conheço uma cidade completamente nova. Por isso eu amo Paris. Você jamais se cansa!  Tudo é novo como se você estivesse visitando pela primeira vez.

Cada um tem seu lugar preferido na cidade. Há quem goste da confusão de Champs Elysées, outros preferem a boemia de Montmartre e alguns o ar descolado de Le Marais. Já o meu bairro preferido é Saint Germain. Nesta última visita, ciceroneado por uma amiga, praticamente local,  a Dida  Veríssimo (do site www.weshareideias.com.br), que está morando na cidade, pude conhecer uma nova faceta do bairro de Sartre e Simone de Beauvoir.

Uma dica para almoçar é o Café Mabillon. Um daqueles cafés tipicamente franceses, mas um pouco mais moderno que os tradicionais Café de Flore e Deux Magots.

Caso a fome esteja grande e o tempo curto, faça uma parada no simpático La Botegga di Pastavino e peça um panini de muzzarela e tomate. Provavelmente você ficará tentado a provar o tiramissu exposto no balcão, mas segure a vontade! Logo adiante está uma das melhores sorveterias da cidade. E não estou falando da tradicional Berthillon não. Ela atende pelo nome de Amorino, e tem sotaque italiano mesmo. Peço os sabores de vanilla, framboesa, pistache ou chocolate amorino.

Se você for apaixonado por livros de arte, como eu, não deixe de conhecer as lojas das editoras Taschen e Assouline que ficam no bairro. A primeira está logo adiante da sorveteria, na própria Rue de Buci e foi desenhada pelo designer Phillipe Stark. Já a Assouline fica na Rue de Bonaparte, próximo à famosa casa de macarrons Ladurré.

Loja da Taschen

Minha última aquisição!

Loja da Assouline

Por falar em comida, se você for do tipo de pessoa que adora visitar um supermercado enquanto viaja, não perca o La Grande Epicerie do Le Bon Marché. Provavelmente você nunca viu nada parecido na sua vida. Os paninis dela também são excelentes!

Para terminar o dia, vá beber algum drink no bar mais popular do bairro, o La Palette que fica aberto até às 2am. O difícil é arranjar uma mesa!

Café Mabillon – 164, Boulevard Saint-Germain. Tel: 33 1 43 26 62 93 ‎

Amorino – 4, rue de Buci. Tel : 01 43 26 57 46

Taschen – 2, Rue de Buci. Tel: 33 1 40 51 79 22

Assouline  – 35, Rue Bonaparte.  Tel:33 1 43 29 23 20

Ladurré  – 36 Rue Bonaparte. Tel: 33 1 43 26 00 19 ‎

La Grande  Epicerie – 38, Rue de Sèvres. Tel:33 1 44 39 81 00

La Palette – 43 Rue de Siene. Tel: 33 1 43 26 00 19 ‎

10 Comentários

Arquivado em Lifestyle, Paris, Paris

Vai pra onde?

Estréia hoje no Farra Fina a coluna Vai pra onde?, com dicas de viagens dadas por amigos que dividirão aqui as suas experiências adquiridas pelo mundo a fora! Para o primeiro post chamei a minha amiga Adriana Veríssimo, que além de estar atualmente morando em Paris, é responsável pela coluna de viagens Check-in do site www.weshareideas.com.br.

VAI PRA ONDE?  PARIS

 PORQUE IR?

Cidade mais linda do mundo, com terraços deliciosos de cafés, onde sentar, beber um verre de vin e ver as coisas na rua acontecerem, já é tudo. Por causa do romantismo da cidade, das pontes maravilhosas, dos monumentos a cada esquina, da baguete deliciosa, das mil lojas vintages, da vida cultural intensa  e o melhor de tudo: por ser o fashion spot do mundo – os franceses sempre com estilo próprio, mega descolados e ao mesmo tempo com uma elegância típica da cidade, uma aula para qualquer um. Enfim, já deu para ver que sou apaixonada pela cidade!

PRA DORMIR?

Bel Ami, que fica na melhor localização de St Germain de Prés meu bairro preferido. Ele é bem mais moderninho que os outros do bairro e tem um range bom de preços e quartos. Ótima combinação de localização e conforto.

 

PRA COMER?

São muitos, mas vamos lá…

Derriére no Marais, um restaurante decorado como se fosse uma casa. Você pode escolher onde quer sentar, na sala de estar, de jantar ou no quarto e ainda pode jogar uma partida de ping pong no meio do restaurante.  Super descolado, com comida  francesa, a decoração é uma mistura eclética de estilos  e o crowd é composto por fashionistas, um pessoal cool e bem animado. 

Endereço: 69 Rue des Gravilliers, 75003 Paris +33 1 44 61 91 95

–  Mama Shelter: restaurante decorado por Philip Starck, mega descolado.  Fica mais longinho (no 20eme arrond.) e é legal pra jantar. De entrada não deixe de pedir a buratta com tomate!

 109 Rue de Bagnolet 20eme 01 43 48 48 48.

La Stresa: Bistrot Italiano, na rua de trás do Plaza Athéne, é muuuito bom. Com as mesas bem estilo francês, ou seja, bem apertadinhas, o restaurante não é estilo descolado nem nada do tipo, mas a comida é maravilhosa. De entrada pedir uma pizzeta de trufa ou um presunto cru com melão. Prato principal uma massa ou burrata (mto boa) e a sobremesa é o ponto alto da refeição, eles servem tipo um creme brulé com frutas vermelhas quente, show!

7 rue Chambiges 75008 PARIS – Tel: 01 47 23 51 62 

 

PRA COMPRAR?

Difícil definir uma única loja em Paris, então para não ficar na mesmice indico a loja vintage Didier Ludot. Ela fica no Palais Royal e reúne peças vintages da melhor qualidade. Casacos de pele, tailleurs Chanel, não são difíceis de encontrar. Mas caso você queira experimentar um Balmain gown dos anos 60, só com hora marcada. 

24 Galerie Montpensier 75001 Paris – Tél.: 01 42 96 06 56

PRÓXIMA PARADA?  
Pode ser paradas?? hehe  Marrakesh, Florença, Porto Cervo..e quem sabe Hong Kong.

10 Comentários

Arquivado em Paris, Paris, Vai pra onde?

Paris além do Louvre.

Sem dúvida, a primeira vez que conheci Paris, como qualquer outro bom turista, senti certa obrigação de conhecer todos os tradicionais pontos turísticos da cidade. Aquele famoso circuito Louvre – Arco do Triunfo – Torre Eiffel faz parte, só passeio de bateau-mouche que não rola! Nem mesmo com um Rivotril! Então para você que quer algo diferente ou já é habitué  da cidade, seguem algumas dicas diferentes:

O melhor foie gras da cidade!

O meu bistrô preferido é o Chez Andre, onde você irá comer o melhor da tradicional culinária francesa. Agora, se você for louco por foie gras, o lugar certo é o Chez l’ami Louis. Caso você queira algo mais moderno, vá jantar no Derrierre que fica no descolado bairro Le Marais ou no Matignon, um restaurante estilo Lounge no 8ème, última empreitada dos irmãos Costes. Se o assunto for doce, o lugar certo é o Fauchon que fica na Place Madeleine (dica – peça o éclair praliné) ou no Pierre Hermé, que faz os melhores macarons da cidade (melhor que do famoso La Durée!).

O ambiente informal do Derrierre. Restaunte MatignionVocê nunca comeu um doce tão bom!

Se o assunto for compras, depois de NY e Londres, não existe melhor cidade. Pena que tudo é em euro… Duas lojas de roupa que eu gosto muito são a The Kooples, que tem uma loja dentro do Marché St Honoré e a A.P.C, que faz os meus jeans preferidos (esta já tem a uma filial no Soho em NY). Se você for fã da Colette (aquela loja que vende tudo de conceitual e que você não consegue comprar nada, seja pelo preço ou pelo próprio produto), vá conhecer a Merci-Merci que é um pouco mais acessível. Eu disse um pouco!

Não é uma escolha fácil, dentre tantas opções, um museu para visitar na cidade. Se você gosta dos artistas impressionistas e do museu D’Orsay, (e não está com paciência de pegar aquela fila infinita com uma excursão de japoneses!) não deixe de visitar o L’Orangerie. O museu fica dentro do Jardin de Tuileries, e abriga as telas gigantes das ninféias do Monet. Caso você prefira arte contemporânea e goste do centro George Pompidou, ao lado do L’Orangerie fica um pequeno museu que vale a visita: o Jeu de Paume. Na saída dos museus, vá tomar o melhor chocolate quente que eu já tomei, no Café Angelina, logo ali em frente, na Rue de Rivoli.

L'Orangerie.

 

Já deu água na boca?

1 comentário

Arquivado em Paris, Paris

Top Hotel: Paris – Philippe Stark para todos os bolsos!

Fechado em 2008, o 6° e último palácio-hotel de Paris (os demais são o Hôtel de Crillon, o Le Meurice, o Le Bristol, o Ritz, o Plaza Athenée e o Georges 5º), o Le Royal Monceau reabriu as sua portas no final de 2010. Totalmente reformado pelo famoso designer Philippe Stark (há pessoas que não gostam do seu trabalho, eu confesso que sou fã!), o hotel não pode ser comparado com nenhum outro em Paris. Além da decoração ultra-moderna de Stark, o hotel conta com uma livraria, um SPA da Clarins, uma galeria de arte e um pequeno cinema, com guloseimas desenvolvidas por ninguém menos que Pierre Hermé, o mestre da atual pâtisserie francesa. Mas tudo isso tem um custo! O quarto mais barato não sai por menos de 650 euros.

Mas para nós reles mortais, há esperança!!!. Desenvolvido também por Stark, o hotel Mama Shelter surgiu do conceito que design não necessariamente tem que custar caro. Este hotel oferece quartos a partir de 79 euros além de um ótimo restaurante. A localização não é a melhor que você poderia estar em Paris (é um pouco afastado do centro), mas sem dúvida você irá dormir com estilo.

Bon Voyage!

Tauan

–          Le Royal Monceau

37 Avenue Hoche, 75008 Paris – Tel:01 42 99 88 00

www.leroyalmonceau.com

–          Mama Shelter

109 Rue de Bagnolet,  75020 Paris – Tel:01 43 48 48 48

www.mamashelter.com

3 Comentários

Arquivado em Hotel, Paris