Arquivo da categoria: Índia

Caminho da Índia! Parte II

JAIPUR:

Centro de Jaipur

Para sair de Agra e seguir rumo à capital do Rajastão, Jaipur, infelizmente, a melhor maneira é via terrestre. Os vôos que fazem esse trecho normalmente atrasam muito ou são cancelados de última hora. Então, para você não ser pego de surpresa, o jeito é respirar fundo e encarar os poucos 230km de estrada que serão realizados em longas 6 horas de viagem! Bem-vindos a Índia!

Centro de Jaipur

Centro de Jaipur

Jaipur é conhecida como a cidade rosa. Cá entre nós, está mais para terracota desbotada, mas tudo bem! Confesso que fui a Jaipur completamente leigo. Tinha lido pouco sobre o lugar e o meu conhecimento limitava-se às descrições dos guias de viagem como a capital do estado dos Marajás e a cidade rosa da Índia. Logo me veio à cabeça a imagem, quase lúdica, de uma cidade pequena, com palácios e ruelas. As expectativas foram um pouco altas demais!

Centro de Jaipur

Claro, a cidade é rosa, pelo menos o centro antigo. Mas posso dizer que em termos de limpeza e organização, a favela da rocinha dá de mil a zero.  Somente a fachada do Hava Mahal ou  Palácio Dos Ventos e do mercado central são dignos de elogios, mas só!

Outra famosa atração da cidade é o Amber Fort. O forte construído no ano de 1727 impressiona pelo tamanho e pelos detalhes de sua construção. Turista ou não, o grande programa é subir o palácio na garupa de um Elefante!

Amber Fort Jaipur

Onde Ficar:

Uma ida a Jaipur já vale, caso você possa ficar no Rajvilas. Uma espécie de oásis no meio da cidade. O hotel é realmente impressionante e está sempre na lista dos melhores hotéis segundo a Cond Nast Traveller. A experiência ainda é melhor caso você fique em uma das tendas inspiradas nos antigos abrigos de caça dos Marajás.

Oberoi Rajvilas

Oberoi Rajvilas

UDAIPUR:

Cidade de Udaipur

Vista do palácio de Udaipur

A viagem segue pra Udaipur, localizada à 1 hora de vôo de Jaipur.  Conhecida como a “cidade dos lagos”, ou ainda como a “Veneza do Oriente”, Udaipur é considerada uma das cidades mais rica da Índia, e a sua população de 500 mil habitantes é bem pequena para os padrões do país. De todas as paradas da viagem, esta, sem dúvida, foi a cidade com a menor concentração de vacas nas ruas!

Cidade de Udaipur

O principal lago da cidade é o Pichola onde está localizado um dos hotéis mais luxuosos da cidade, o Taj Lake Palace. Por ser uma cidade altamente turística, muitos dos palácios da cidade foram convertidos em hotéis.

Taj Lake Palace Udaipur

Taj Lake Palace

 A grande atração da cidade é o complexo do City Palace, que iniciou a sua construção em 1559. Além disso, a cidade oferece diversas opções de artesanatos em mármore branco, a grande riqueza local. Uma cidade tipicamente indiana, sem a confusão e o caos indiano. Uma cidade que vale a visita!

Onde Ficar:

A competição é acirrada. Difícil determinar o melhor da cidade. A briga fica sempre  entre o Taj Lake Palace e o Udaivilas. Eu fico com o Udaivilas! O hotel, localizado à beira do lago Pichola, tem uma das mais belas vistas da cidade. Além de contar com um serviço impecável e um dos melhores spas da Ásia.

Oberoi Udaivilas

Oberoi Udaivilas

Oberoi Udaivilas

Quarto com piscina privada!

PENCH NATIONAL PARK:

 

Pench National Park

De Udaipur seguimos rumo ao Parque Nacional de Pench, terra dos tigres de   Bengala. Poucas pessoas sabem, mas é possível fazer uma experiência de Safári em plena terra de Ghandi. Mas para chegar requer um pouco de esforço.  Primeiramente é preciso voar de volta para Jaipur e de lá pegar uma conexão para a cidade de Nagpur. De lá, o percurso de 4 horas é feito de carro até o coração da reserva de Pench.

Pench National Park

Sem dúvida o parque nacional mais famoso do país é o Rathambore. Mas, no momento de escolhermos o local do safári, o nosso consultor de viagem nos alertou que o Rathambore estava mais para um safári na África do Sul e o parque de Pench, para um safári no Quênia. Isto quer dizer, mais preservado.

O Lodge escolhido foi Baghvan Pench, de propriedade da maior e melhor operadora de lodges da Africa, a &beyond. Como todo safári, o sistema é de pensão completa, com direito a 2 games por dia. Todos os bangalôs contam com um banheiro interno e outro externo, além de um terraço onde você pode dormir escutando todos os barulhos da floresta. Algo que eu não recomendo muito. Garanto, os barulhos são muitos!

&Beyond Lodge Baghvan Pench

&beyond lodge Baghvan Pench

Pench National Park

Devo dizer que a experiência de um safári na Índia é altamente válida para quem nunca teve fez um safári na África antes. Se não for este o seu caso, provavelmente o passeio será um pouco monótono! A quantidade de animas é infinitamente inferior ao visto na África e você terá que ter muita sorte para ver um tigre. Nos dois dias em que ficamos lá, ou seja, 4 games,  conseguimos avistar um tigre somente uma única vez!

 

 

Deixe um comentário

Arquivado em Índia, Hotel, Jaipur, Pench National Park, Udaipur

Caminho da Índia! Parte I

Taj Mahal

Conhecer a Índia foi um privilégio que eu tive há dois anos. Um país completamente diferente do que você já viu ou ouviu falar. Aqui o moderno e o antigo se encontram em perfeita harmonia.  Descrever a Índia é algo difícil em palavras. A Índia é exótica, sensual, colorida e caótica, tudo ao mesmo tempo. Um país de gostos e cheiros (e garanto são muitos! Alguns bons outros nem tanto!), que irá despertar todos os seus sentidos. Prepare-se para uma viagem que provavelmente mudará o seu modo de ver o mundo.

Como chegar:

A maneira mais rápida de se chegar é através da Europa. De Londres os vôos levam 8 horas até Nova Delhi. Mas se prepare para o fuso horário. O vôo que parte às 11am de Londres chega às 3am horário local em Delhi. Mas há também a opção via NY através da Air India, caso você queira fazer um pit-stop na big Apple. NY – Delhi leva 16 horas.

NOVA DELHI:

A primeira parada da viagem! A capital da Índia é surpreendente. Sim, há vacas pela cidade! Mas qual cidade indiana não tem? Sim, o trânsito é insuportável. (pior que São Paulo!). Com uma população de quase 10 milhões de habitantes, é parada obrigatória no seu caminho rumo ao desconhecido.

Para entrar de cabeça no espírito da viagem, andar de riquixá por Old Delhi é um passeio obrigatório! Aqui se vende de tudo, uma confusão que lembra um pouco a nossa 25 de março, mas com um aroma de curry no ar e sem dúvida um pouco mais caótica.

Franco Milan , fotógrafo e companheiro de muitas viagens.

Outro passeio imperdível é uma visita ao Túmulo de Humayu. Construído no século XVI, foi a fonte de inspiração pro monumento mais famoso do país, o Taj Mahal.

O grupo reunido em frete ao Túmulo de Humayu.

Não deixem de conhecer também a mesquita de Jama Masjid. Encomendada pelo imperador Mughal Sha Jahan, o construtor do Taj Mahal, e concluída no ano 1656, é a maior e mais conhecida mesquita do país.

Jama Masjid ao fundo e o caos organizado de Old Delhi.

Onde ficar:

Ficamos no The Imperial, o hotel mais tradicional da cidade. Construído em 1911 a mando do rei George V da Inglaterra, só passou a funcionar em 1930. O serviço é impecável, tem até menu de travesseiro (nunca tinha visto isto antes!), além de abrigar um dos melhores restaurantes indianos da cidade.

www.theimperialindia.com

Onde comer:

Para os amantes da comida indiana, não perca uma ida ao Bukhara. Esse restaurante serve a tradicional culinária do país; ensopado de cordeiro servido com Namm (um pão sem trigo que lembra o sírio). Ele já foi eleito um dos 50 melhores restaurantes do mundo pela revista The Restaurant e ficou famoso depois do ex-presidente americano Bill Clinton ter confessado  que gostaria de ter dois estômagos para conseguir comer mais! O mais interessante é que o restaurante não conta com talheres, e o Namm daqui é literalmente gigante!

Chanakyapuri , Delhi, Índia Tel: 011 26112233

VARANASI:

Também conhecida como Benares, é considerada a cidade mais sagrada para os hindus. Para eles, vir a esta cidade tem o mesmo significado que ir a Meca para os muçulmanos. É aqui que passa o rio Ganges, e onde ocorrem todas as mais importantes cerimonias religiosas do país. Na minha opinião, vir a Índia e não conhecer Varanasi, é o mesmo que ir a Paris  e não conhecer a torre Eiffel.

 Trem para Varanasi, com partida prevista para as 5:30am!

A princípio fiquei relutante em conhecer este lugar tão distante da minha realidade. Mas conhecer esta cidade é uma experiência bem marcante e inesquecível.

Vamos aos fatos. Todo hindu sonha em falecer e ter o seu corpo cremado à beira do Ganges. Por esta razão, trata-se de uma cidade “terminal” para muitos. Não é à toa, que em todos os 88 Gathys (escadarias que dão acesso ao rio) há uma construção de uma espécie de palácio, para que os antigos reis pudessem falecer próximo ao rio.

Cada Gathy tem uma função específica. Um serve para a lavagem de roupa, outro para a prática de Yoga e outro serve como crematório. Todas as cerimonias religiosas acontecem no nascer do sol e no final do dia. Um dia em Varanasi é suficiente para entender um pouco da cultura hindu, e sem dúvida inesquecível, isso eu garanto!

 

Os rituas do final do dia são observados por milhares de peregrinos.

Onde Ficar:

A melhor opção da cidade é o hotel Radisson. Ele é muito bom, mas nada excepcional em comparação com a oferta hoteleira do país. Não caia na roubada de ficar no hotel Taj Ganges. Mesmo fazendo parte da rede de hotelaria de luxo Taj, o hotel está velho e pouco conservado. E se prepare, a comida em ambos é praticamente intragável. Mas em Varanasi a razão da sua ida definitivamente não será gastronômica!

AGRA:

Sem dúvida a minha parte preferida da viagem! Tanto pela beleza do Taj Mahal, quanto pela história da cidade. Uma dos visuais mais bonitos que você terá na sua vida!

Outro passeio imperdível é o Forte de Agra. Trata-se do antigo palácio real, e local onde o rei Mughal Shah Jahan conheceu a sua mulher Muntaj e a quem ele dedicou a construção do mais belo mausoléu do mundo.

 Localizada a 30 minutos de Agra, fica Fatehpur Sikri, patrimônio da UNESCO e conhecida como a cidade perdida. Esta cidade foi construída em apenas 14 anos, para que fosse a sede do governo local. Todavia, como nenhum rio estava próximo, a cidade foi abandonada e novamente construída onde se encontra atualmente Agra.

 

Onde Ficar:

A melhor opção é o Amarvilas da rede hoteleira Oberoi. Todos os quartos têm vista para o Taj Mahal, além de um serviço digno de rei!

www.oberoihotels.com/oberoi_amarvilas/index.asp

 

3 Comentários

Arquivado em Agra, Índia, Nova Delhi, Nova Delhi, Restaurante, Varanasi